Doença de Chron na gravidez

A doença de Crohn quando gerida da forma correta, não é incompatível com o desejo de ser mãe e com a gravidez.

O número de casos de doenças inflamatórias crónicas dos intestinos tem aumentado muito nos últimos anos, sendo cada vez mais comum em jovens entre os 20 e os 30 anos, logo, muitas mulheres na idade fértil.

O que é a Doença de Crohn?

É uma doença inflamatória crónica do intestino que pode atingir qualquer segmento do tubo digestivo, comprometendo com mais frequência o intestino delgado no seu segmento terminal, denominado íleo.

Apesar das inúmeras investigações que se têm feito, sabe-se muito pouco sobre a origem desta patologia, que varia muito de caso para caso e de pessoa para pessoa. Como o próprio nome indica, é uma doença crónica, que não tem cura e que apenas alternam fases agudas com períodos de remissão.

Quais são os sintomas?

Tendo em conta que qualquer segmento do tubo digestivo pode ser afetado os sintomas são variados. No entanto, os mais comuns são diarreia, dor abdominal e perda de peso. Mas podem também ocorrer sintomas não relacionados com o aparelho digestivo, como por exemplo dores em articulações e lesões de pele.

Outras manifestações prematuras desta doença são lesões a nível da região perianal, incluindo, fissuras, fístulas e abcessos.

Quais as causas da Doença de Crohn?

É desconhecida a causa da doença, no entanto a hipótese mais provável é a existência de um determinado factor (vírus, bactéria) que provoca uma resposta imunológica do organismo que irá provocar uma inflamação do intestino, mesmo que o agente causador já não está presente.

 Todavia, existem outros fatores que podem contribuir para um aumento do risco de desenvolvimento da doença, nomeadamente:

  • a idade (geralmente a doença desenvolve-se antes dos 30 anos, embora possa ocorrer em qualquer idade)
  • fatores hereditários
  • tabaco (o risco de um fumador desenvolver a doença é não só mais elevado como a torna mais grave, pelo que todas as pessoas com este diagnóstico devem deixar de fumar)
  • stress

Riscos na gravidez

A doença de Crohn pode provocar uma ligeira redução da fertilidade na mulher. No entanto, o desenrolar da gravidez é tranquilo, o que se deve, provavelmente, às alterações fisiológicas do sistema imunitário materno, que, durante este período, se torna mais tolerante para aceitar a presença do feto sem que se produzam fenómenos de rejeição.

Os corticoides e os imunossupressores, terapêutica usada para controlar a doença,não são totalmente proibidos na gravidez. Cabe pois,ao médico avaliar a situação de forma a determinar a dose mais indicada para estabelecer o equilíbrio entre riscos e benefícios, tanto para a grávida como para o bebé.

Na maioria dos casos, se a doença se encontra numa fase assintomática, é possível suspender o tratamento durante a gravidez. Já se a doença estiver numa fase aguda, não se pode prescindir dos medicamentos. Mas caberá ao médico avaliar toda a situação clínica.

Em suma:

Qualquer mulher deve ponderar o seu estado de saúde antes de engravidar. E deverá equacionar uma eventual gravidez num período em que a doença se encontre em remissão. Estudos recentes demonstram que, as mulheres passam bem durante a gravidez se a doença estiver inactiva no momento da concepção.

Porém, se a gravidez ocorrer durante um período activo da doença é provável que a mesma se mantenha activa ou que agrave. Agravamento esse que ocorre, geralmente, durante o primeiro trimestre ou nos meses seguintes ao parto. 

0.00 avg. rating (0% score) - 0 votes

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.